Manual do Batom: Coral 65

    DSC07968.JPGResolvi trazer mais um batom pro nosso manual. O escolhido de hoje foi o Coral 65 da Natura Aquarela.

Vamos as impressões: o batom de hoje tem uma cobertura bem leve, ou seja, não dura muito tempo na boca, tem que retocar umas várias vezes durante o dia. E como ele não é matte, fica com esse aspecto mais molhado e não tão sequinho, o que eu particularmente não gosto. Mas vendo o lado bom, esse tipo de batom vai super bem durante o dia, numa make mais suave porque acaba não pesando tanto.

DSC07966.JPGDSC07964.JPG

Quanto a cor, o coral é um tom super em alta que chegou no inverno passado e apesar de apagadinho até que tem durado. Eu sou suspeita porque amo os mais variados tons de coral. Esse é mais claro, quase rosinha e eu amo porque não carrega muito mas também não deixa a boca sem cor. Dica: adoro usar batom coral quando estou com um look azul marinho, dourado e/ou vermelho (quase defini o navy, mas ok), acho que conversam super bem.

DSC07971.JPGDSC07970.JPG

DSC07972.JPG

E aí, gostaram do batom de hoje? Se joguem no coral, meninas! Aliás, ele é a cara do verão, viu? ❤

Anúncios

Sobre a Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2014

No mês de agosto aconteceu, como a maioria de vocês já deve saber, a bienal do livro de São Paulo. Pra quem não sabe, é um evento gigantesco que reúne editoras e livrarias de todo o Brasil e do mundo. O bacana é que sempre tem promoções super legais, ou seja, dá pra comprar vários livros. Hoje eu vou contar pra vocês sobre a minha experiência na Bienal desse ano, e já aproveitar pra dizer o que aprendi pra próxima. Vamos lá?

Essa foi a segunda vez que fui. Da primeira vez eu tinha ido de excursão com a escola, mas tínhamos apenas 2 horas pra andar todo aquele lugar então claro que não aproveitei nada e acabei comprando livros por preços nem tão acessíveis assim. Nesse ano eu e mais alguns amigos lotamos uma van e fomos por conta própria, e digo que valeu super a pena. Chegamos lá por volta das 8:15h (os portões abririam as 10h), ficamos um bom tempo na fila mas pelo menos entramos bem no começo e pudemos aproveitar a primeira hora antes daquilo lotar. Lá é tão imenso que não dá pra saber por onde começar. Como eu havia feito uma lista com os livros que eu queria (faça isso. vi essa dica no blog Garota em Londres e ajuda muito porque você pode ir com um foco, não perde tempo, nem dinheiro e ainda compara preços com os da internet.) já fui indo direto nas editoras dos livros pra ver se o preço estava bom. Depois começou a encher e juro que não dava pra andar. Tinham filas enormes pra entrar nos estandes, pra pagar os livros, pra tudo. Fila que não acabava mais. Deixamos pra ir na Panini por último, porque meu irmão queria ver gibis, coisas de super heróis e tal, e foi um belo de um arrependimento. O estande parecia um formigueiro de tanta gente, era quente, eu passei mal e ainda ficamos cerca de 1 hora na fila apenas para chegar no caixa. Mas o passeio foi sensacional, acabei com os pés amortecidos de tanto andar porém com belos 6 livros na sacola e um sorriso enorme no rosto. Agora que resumi a aventura vou citar as minhas lições com base na experiência desse ano. Vamos lá?

1- Leve dinheiro, jamais vá com cartão!

Foi tudo uma tremenda correria esse ano e acabei não tirando dinheiro pra levar, e tive a bela ideia de ir a Deus dará com o cartão apenas mais o dinheiro contado para a van. No fim das contas o sistema do meu banco caiu e não consegui passar o cartão por um bom tempo, tive que ligar pra minha mãe umas cinquenta vezes, estressei ela, me estressei e foi um fuzuê até o sistema voltar. Conclusão: dinheiro na mão, nada de cartão. 

2- Leve no máximo um casaquinho leve

Fui com duas blusas porque achei que estaria o maior frio da vida, mas lá dentro é tão quente que não tem como não sentir calor, mesmo que lá fora esteja grau negativo (exagerei, ok). Fiquei carregando as blusas e isso só me atrapalhou a vida, então resuma tudo. Um casaquinho leve já é o bastante!

3- Leve uma garrafinha de água e comida

Lá tudo é caro demais, gente. Vale muito mais a pena fazer uns lanches, e colocar tudo na mochila. E não pensem que dá pra sobreviver sem uma garrafa de água naquele lugar porque é impossível. 

4- Chegue cedo!

Chegar cerca de 1:30h/2h é interessante pra você entrar logo e já ir direto nos estandes que mais quer, porque quando começa a lotar, minha gente, não dá pra andar. Portanto se programe pra poder curtir o máximo que puder. 

5- Vá de mochila

Pra mim até a mochila ainda não foi muito confortável, mas uma bolsa seria mil vezes pior. Você tem que levar comida, água, dinheiro, e suas coisas pra poder sobreviver boas horas por lá, sem contar os livros que você vai comprar, então, nem pensem em levar uma bolsa porque só atrapalha. Mochila sempre a melhor opção. A não ser claro, que você seja uma pessoa resumida  e não exagerado como eu. 

6- Compare preços

Não saia que nem doida comprando o livro no primeiro lugar que foi. Visite vários estandes em busca dos melhores preços porque senão acaba fazendo mau negócio. Claro que a diferença de preços não é absurda, mas vamos combinar que 3, 5 reais já fazem uma boa diferença se somados. 

7- Seja paciente

Ir pra Bienal estressado ou com pressa não rola jamais! Vá com paciência e disposição pra andar, olhar livros, pesquisar preços, enfrentar filas, aguentar empurrões, tapas, gritos e outras coisinhas. Juro que a emoção de levar vários livros pra casa vale a pena, galera.

Enfim, acho que as principais lições que tirei da Bienal desse ano foram essas. Quem foi tem alguma outra dica pra acrescentar, alguma experiência pra compartilhar? Comentem!

E amanhã teremos um post sobre os livros que comprei lá. Vou mostrar todos pra vocês e falar um pouco de quanto foi, como comprei, enfim, vai ser bem bacana. Fiquem de olho, tá? 

Sobre a foto no Instagram de hoje: “Que eu nunca desista daquilo com que sonho. Que as decepções não me impeçam de voar alto.” Essa frase é de um dos livros que comprei lá, que na verdade foi o primeiro que fui em busca porque queria muito, muito, muito. Pra dar um gostinho pro post de amanhã…esse livro é o Não se apega não, da Isabela Freitas. 

Espero que tenham curtido, amores. ❤ 

<

p style=”text-align:center;”> despedida de posy

 

Dica da Rebs: Manual do look diário em 7 dicas!

Olá, meus amores! Hoje eu trouxe uma dica que na verdade não é apenas uma mas um conjunto de dicas, ou seja: um manual. Esse post é um teste que estou fazendo porque quero trazer muitos outros posts nesse formato pra vocês, então se curtirem teremos muitos outros. Enfim, vamos ao assunto das dicas de hoje.

Pra tudo nessa vida temos que nos vestir. Um encontro, um jantar, uma reunião, uma festa, um casamento, um passeio no parque, um churrasco em um sítio e por aí vai, mas e quando o assunto é vestir-se para o dia a dia? O look para o trabalho, para a escola, para a faculdade, que também deve servir pra consulta no dentista mais tarde e para qualquer surpresa que apareça. E com certeza você já escutou esse discurso por aí, mas infelizmente terei que repeti-lo: a imagem que você passa chega através da roupa que você veste antes da palavra que você diz. O que quero dizer é que a imagem que você passa começa com a forma como você está vestida, antes de qualquer coisa. E não adianta dizer que as pessoas não nos julgam pelo que vestimos porque julgam sim, e isso não quer dizer que estamos todos privados de usar o que gostamos por conta da opinião alheia, mas que devemos estar atentos ao que nossa roupa dia ao mundo sobre nós mesmos. Essa batalha começa em qual look? No que você veste hoje, no look do dia a dia, no que deveria ser básico de acordo com…de acordo com quem mesmo? Então a gente só se produz pra sair a noite ou mais ainda, no fim de semana? Esquece essa regra boba que tem tornado nossa maneira de se vestir tão chata. Chegou a hora da revolução. Compreenderemos a partir desse manual (ou não manual) que se vestir é uma arte prazerosa e não futilidade como a maioria da humanidade julga. Goste você de moda ou não, leia até o fim, prometo que valerá a pena.

1- Qual o seu estilo?

Eita pergunta chata de responder. Aí vem aquela resposta clichê -” ah, varia com o meu humor” – porque não temos outra definição melhor e mais objetiva do que exatamente essa, não é mesmo? Mas que coisa irritante eu ter que definir meu estilo. Tem dias que acordo no pique da Bahia e quero uma roupa super despojada e fresca pra enfrentar o dia, tem outros que acordo toda Taylor Swift no maior romantismo e doida pra sair toda menininha de saia rodada, e ainda há os dias em que acordo de bem com a vida mas com a Amu Winehouse no corpo toda doida por uma make carregada e um look agressivo. Por isso vamos começar nos libertando dessa imposição de que estilo é esse ou aquele. Estilo é a forma como você compõe um look, seja misturando o rock com o romântico, ou o étnico com o lady like. Estilo é próprio de cada um mas não tem que ser definido por uma única palavra. Vai além disso.

manual diário11

manual look diário

2- Mas e se eu não tenho estilo?

Todos nós temos estilo, só que alguns ainda escondem isso de si mesmos. É preciso, para que se descubra o estilo que há dentro de você, uma compreensão de si mesma e isso só é possível testando, numa conversa íntima sua com você mesma. Experimente peças, cores, combinações, acessórios, estampas. Vá em busca de combinações, dentro do seu armário, que nunca havia tentado antes, se olhe no espelho e pergunte: me sinto bem assim?  E com a prática de se perguntar o que te agrada e o que não te agrada é que a gente vai descobrindo o estilo que mora dentro de nós.

manual look diário7

manual look diário2

3- Esqueça todas as “regras” que você já ouviu até hoje.

Batom vermelho durante o dia? Paetê em plena quarta-feira ensolarada? Roxo com laranja? Tênis esportivo com blazer? E a resposta é apenas uma para todas as questões: se você quiser, por que não? Nós somos os nossos próprios estilistas e a boa notícia é que a moda não gosta de regras, pelo contrário, ela gosta de nos ver inventando. Então esqueça essas regrinhas chatas de pode e não pode e aprenda que, se for ajustado ao seu tipo de copo e a ocasião, tudo pode sim. O paetê de cor neutra com uma camiseta estampada e um salto preto fica perfeito para enfrentar uma quarta-feira ensolarada. O roxo conversa super bem com laranja, se ele estiver no sapato, o laranja no blazer e o resto for neutro. O tênis esportivo fica lindo com um shorts jeans despojado e um blazer coloridão. E por aí vai, com as adaptações necessárias a gente vai conquistando o look que a gente quer.

4- Um mundo de possibilidades

Para vestir-se no dia a dia sem perder o estilo precisamos quebrar as barrerias do pensamento que sempre acaba nos levando (principalmente na pressa) ao óbvio, à combinação segura de sempre. Esqueça o jeans com a T-shirt e a jaqueta colorida que você sabe que funciona e já usou umas quinhentas vezes. Experimente o jeans com uma regatinha e um blazer, coloque a T-shirt com um shorts e complemente com uma botinha, coloque a jaqueta colorida junto com uma camisa, amarre um lenço no pescoço, coloque uma saia e pronto, um look novo. Vá atrás de combinações inéditas com tudo que você tem no armário há anos. Pegue peças esquecidas e misture com as novas que você quer usar todo dia. Coloque acessórios que ficam esquecidos no fundo da gaveta. Experimente sapatos com peças de roupas que você não costumava combinar antes. É assim que a gente vai abrindo nosso leque para os looks do dia a dia. E acredite, a gente vai se soltando aos poucos. Daqui a pouco vão estar viciadas em novas combinações!

manual look diário4

manual look diário5

5- Os acessórios são seus maiores aliados!

De fato, tem dias que bate a pressa e não temos tempo de pensar muito no que vestir para ir ao trabalho, para faculdade ou para a escola e é aí que entram os melhores amigos das mulheres: os acessórios. Um look basicão ganha um toque de estilo quando colocamos um lenço, um cinto diferente, um maxi colar, um brinco chamativo, uma tiara diferente, um sapato ousado, uma bolsa de cor forte. São esses segredinhos que nos salvam durante a pressa e fazem um look nada pensado parecer super diferente e estiloso. Por isso, bora investir em muitos acessórios diferentes e criativos porque eles são um coringa e tanto.

manual look diário9

6- Nada de pensar na opinião alheia!

Antes de sair de casa, se olhe no espelho e pergunte a si mesma: Eu gostei? Tô bem? Não tem nada no look que esteja estranho? Se a resposta for sim, saia de casa tranquilamente sem neuras porque o importante é que estejamos bem com nós mesmos e nos sentindo incrivelmente lindas. Se eles vão achar nosso estilo estranho ou produzido demais é problema deles. Mas ao mesmo tempo saiba que algumas gafes podem ser evitadas, então também nada de sair palhaçona doida no meio da rua, achar que estar linda e não ligar para nada e nem ninguém. Nem demais, nem de menos, combinado? Alguns truques valorizam nosso corpo e evitam essas gafes, mas isso é assunto pra outro post.

7- Mas e se eu não consigo pensar em novos looks?

Relaxa, respira fundo que inspiração por aí tem de sobra. Tudo é válido, mas apenas uma fonte não basta. Entre em blogs, busque em revistas, em programas de tv, na rua enquanto anda por aí, tudo é inspiração. Vá atrás do estilo de blogueiras, pessoas comuns que se vestem para o dia a dia e também vá atrás do estilo das famosas que as vezes tem uma ajudinha pra se produzir mas que vamos confessar, sempre trazem ótimas combinações. Toda fonte pode nos ajudar a ter mais ideias para looks, pode nos ajudar a montar algo bacana com o que temos em casa. Então força de vontade e vamos atrás de looks que nos tragam inspirações e criatividade!

manual look diário12

manual look diário6

manual look diário3

Bom, falei demais para o meu tamanho. Montei esse manual através do meu interesse por moda, já que não sou profissional no assunto (ainda) mas penso que são dicas válidas para tornar mais prazeroso e mais divertido o ato de se vestir. Porque não precisa ser algo chata e mecânico, pelo contrário, deve ser gostoso, deve instigar a mente a ir em busca de elementos no look que interfiram na nossa maneira de ver o mundo. Exemplo: vestir um salto pode levantar sua auto estima depois daquela decepção amorosa, e uma bolsa de cor vibrante pode trazer a alegria que estava faltando no seu dia. Ou seja, vestir-se diariamente não deve ser uma obrigação mas uma diversão, combinado?

Espero que as dicas ajudem vocês a descobrirem seu próprio estilo e a montarem looks diários com mais facilidade e diversão. E aguardem porque vou preparar posts aprofundando em cada uma das dicas, o que acham? Porque a moda é uma delícia, genteeeee! hahahah

Não deixem, poooor favor, de me contar o que acharam do post, das dicas, do manual, se querem outros posts assim no estilo manual com dicas e tal, ou se querem saber mais sobre alguma das dicas, qualquer coisa. Comentem, ok? ❤

despedida de posy

 

 

 

 

Dica da Rebs: Calça detonadinha é pra qualquer um!

Não importa se você curte mais usar salto, tênis, oxford, rasteirinha, calça detonadinha vai com qualquer estilo e com qualquer sapato. Pra provar isso eu fiz 5 fotos com calça destroyed, cada uma com um sapato diferente. Tudo isso é pra trazer inspiração pra vocês e pra mostrar que tanto faz se você acordou romântica fofa ou rockeira desleixada, você pode sim usar sua calça rasgada e ser feliz!

A dica de hoje, portanto é: não se limite a usar uma peça de roupa bacana (pode ser a calça detonadinha ou qualquer outra) por achar que só combina com tal sapato ou com tal blusa. Seja destemida e experimente diversas combinações, nos mais variados estilos porque é isso que torna a moda divertida e encantadora!

DSC04414

Sapatilhas!

DSC04415

Saltão!

DSC04416

Oxford!

DSC04419

Tênis!

DSC04420

Coturno!

E aí, curtiram as inspirações de sapatos e a dica de hoje? Curtam muito essa diversidade da moda, porque é a melhor parte dela. ❤

despedida de posy