Por falar em respeito…

Lembro de ainda ser uma criança e assistir a filmes americanos que mostravam alunos de ensino médio. Filmes marcados pelos diferentes grupos, separados por características, onde sempre um grupo liderava e alguém (normalmente um alguém diferente do grupo líder) sempre sofria na história. Tudo parecia coisa de filme americano e nada mais, mas a realidade infelizmente não é essa. Na verdade aqueles filmes, que obviamente vêm carregados de exageros, mostram situações que acontecem o tempo todo. Me impressiona como essas coisas começam a acontecer quando se entra no ensino médio, talvez pela idade, pela fase em que se vive, onde a inocência vai embora e começamos a bater de frente com a vida real. Os diferentes grupos existem sim, com personalidades mescladas, mas existe. E a maldade, essa também está presente. É nessa fase em que lidamos com amizades falsas, corações ruins, fofocas e todo esse tipo de coisa que nem sempre é mencionado mas está lá, na realidade do dia a dia. Estou nessa fase e talvez seja ainda mais delicado falar sobre isso, mas é preciso, esconder ou fingir que não existe não fará diferença alguma. A quantidade de adolescentes que sofrem, não só bullying mas que sofrem de maneira geral, durante essa fase do ensino médio é incalculável. E normalmente quem sofre algum dia também já fez alguém sofrer, com piadas de mau gosto, com cochichos pelas costas e atitudes do genêro. Claro que certas coisas são normais em certos momentos da vida, mas respeito é um tipo de semente que deve ser cultivada em toda, repito t-o-d-a, e qualquer fase da vida. O respeito deve nascer conosco e ser enterrado conosco, porque já diria a velha frase clichê: respeito é bom e todo mundo gosta. Pedir para que o amor brote nos corações e que todas as raças, povos, tribos e grupos se unam e semeiem a paz é de fato pedir demais. Não deveria ser, mas infelizmente é. Mas o mínimo que poderíamos fazer hoje é repensar em certas atitudes, olhar mais para o outro com o coração e não com os olhos. Pensar antes de dizer e agir.  O sofrimento causado pode gerar consequências sérias, por mais que pensemos que não. Tudo se resume ao respeito, e isso não é pedir demais. Amar ainda é verbo difícil de ser conjugado pela humanidade, mas respeitar já é um bom começo. Eu respeito, tu respeitas, ele respeita e então não haverá tanta discórdia e tanto coração partido. Digo isso a ti que lê e que por sinal está no ensino médio, talvez sofrendo ou fazendo sofrer. Digo a você também que já passou dessa fase e que agora só se lembra do quanto aquelas experiências te tornaram mais forte. E digo também a mim, para que jamais me esqueça de consertar os erros e de respeitar mais a cada dia. Afinal de contas, que atire a primeira pedra aquele que nunca fez alguém sofrer. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s